Por que mulheres têm tanto medo de envelhecer?

Recentemente Madonna postou um posicionamento polêmico em suas redes sociais. Nos comentários, muitas pessoas apontando que não acreditavam que Madonna tinha virado uma “velha maluca”. Mulheres mais velhas que ousam mostrar seus corpos em revistas ou redes sociais são vistas como doidas, que perderam a noção do ridículo. Se uma mulher mais velha ousa rebater uma pessoa mais jovem, ela é invisibilizada porque reclamar é “coisa de velha” mesmo. E desses exemplos que demos, pelo menos 2 deles você só vê acontecendo com mulheres.

Por isso, chamei nossa querida amiga Ju Ali para ilustrar algumas das principais questões que vemos acontecer com mulheres.

1 – Porque somos bombardeadas com a mensagem de que beleza é sinônimo de juventude.

Manchetes em revistas contando sobre os principais procedimentos. Mulheres famosas que vão perdendo a sua relevância e trabalhos importantes a medida que envelhecem. Cremes anti idade (que, aliás, é uma palavra que poderia ser substituída) que usam mulheres de 30 para vender produtos para mulheres de 50. É tanta mensagem que a gente recebe que é difícil se convencer que envelhecer é tranquilo.

2 – Esse padrão também influencia na sexualidade.

Em um mundo onde o sexo só parece ser para mulheres com peitos e bundas lisos e arrebitados, com pele sem rugas, onde fica o desejo e o prazer da mulher mais velha?

3 – Nosso passado é apagado para dar lugar ao personagem da “velha caduca”.

Como conseguir esse título? Discorde de uma pessoa mais jovem. E perceba que isso só acontece com mulheres. Homens também podem ser contrariados e até mesmo xingados de maluco, mas reparem que a idade deles dificilmente entra nessa equação.

Velha não é xingamento, é uma descrição, um estado. Mas a forma que você usa essa palavra defina a sua intenção.

A velhice é inevitável, e deveria ser encarada como um privilégio.

Se você não quer isso para o seu futuro, que tal repensar a forma que mulheres mais velhas são retratadas na nossa sociedade?

E como a melhor forma de mudarmos nossas percepções é ouvir, ver e seguir mulheres mais velhas, indicamos algumas pra vocês: @avosdarazao @donadirceferreira (que inclusive foi inspiração pra última ilustração) e @voizaurademari. Não podemos deixar de indicar também o trabalho da @lu.mich, que tem muitas conversas sobre aceitação, feminismo e padrões de beleza.

 

Deixe uma resposta